O apelo à plantação de vinhas no concelho de Mértola

Available actions

Reader available actions

Digital representation

Digital representation thumbnail
 

O apelo à plantação de vinhas no concelho de Mértola

Description details

Description level

Simple document   Simple document

Reference code

PT/AMMTL/CLDD/000010

Title type

Atribuído

Production dates

1974-01-25  to  1974-01-25 

Dimension and support

1 p.

Scope and content

Na reunião de Câmara de 25/01/1974, o vereador José Rodrigues Palma Júnior propôs que se fizesse chegar à Assembleia Nacional o interesse, por parte do município de Mértola, em que o plantio de vinha se alargasse ao Alentejo, nomeadamente, ao concelho de Mértola, numa altura em que se debatia no parlamento a proposta de lei referente ao regime do condicionamento do plantio da vinha.A necessidade de fazer este apelo junto da Assembleia Nacional, reflete o controlo que o governo português tinha, e mantém – de forma mais acentuada a partir de 1757, data em Marquês de Pombal instituiu a Companhia Geral as Vinhas do Alto Douro, impondo o arranque de vinhas nalgumas regiões em defesa do vinho do Douro – na regulamentação e organização da cultura da vinha e produção vinícola. Esta regulamentação incidia sobre o condicionamento do plantio de vinhas, autorização das castas a utilizar, controlo da produção, proteção das regiões e denominações de origem, e daí a proposta apresentada pelo vereador. O objetivo, “dadas as suas incontestáveis potencialidades [do território de Mértola], tanto no que se refere ao solo, como às condições climáticas [… seria] constituir uma riqueza para este concelho, tão carecido de tudo, como ainda seria motivo de fixação à terra dessa enorme massa trabalhadora que se vê forçada a abandonar os seus lares, em busca de trabalho melhor remunerado”.De facto, embora a história das vinhas e do vinho em Mértola remonte a séculos passados, a verdade é que não há uma tradição e transmissão de conhecimento desta cultura e as referidas potencialidades deste território não foram aproveitadas durante muito tempo. Não só pelas medidas impostas por Marquês de Pombal, como atrás referido, e por outras crises económicas e políticas (nomeadamente as guerras mundiais), mas também e sobretudo, pela designada “campanha do trigo”, uma política que transformou o Alentejo no “celeiro nacional”, em detrimento de outros produtos, designadamente das vinhas. Não obstante o apelo, foi preciso esperar pelo final do século XX para que as vinhas e o vinho do concelho figurassem no mapa nacional da vitivinicultura.Disponível em: https://arquivo.cm-mertola.pt/viewer?id=144&FileID=35815

Description physical location

A.B.1/67_f.200-cx.276